Vereador fala dos R$ 30 milhões do DER, grampos e acredita na justiça

mapping.com.br

Porto Velho, Rondônia – No final da tarde desta segunda-feira (12), o vereador Jair Montes (PTC), em discurso na Câmara Municipal,  mostrou-se insatisfeito com o silêncio dos órgãos fiscalizadores no caso dos R$ 30 milhões na construção de uma ponte em Ji-Paraná e da venda de um terreno, que,  segundo informações, teria o valor inicial  de R$ 90 mil, mas acabou comercializado por  R$ 4 milhões.

O vereador destacou que ainda acredita no Ministério Público e no Tribunal de Justiça, pois ambos darão reposta à sociedade rondoniense sobre a investigação do número exorbitante repassado pelo governo de Confúcio Moura (MDB).

GRAMPOS

“Pela primeira vez Confúcio Moura teve a oportunidade de falar sobre o caso do grampo  que envolveu o deputado Jesuíno Boabaid (PMN) e o presidente da ALE de Rondônia,  Maurão de Carvalho (MDB). A pergunta foi feita  por uma jornalista na cidade de Ariquemes (RO). Mas  Confúcio disse apenas não estar  envolvido com o grampo e que não tinha mais nada a declarar”, lembrou o vereador portovelhense. .

Jair Montes lembrou do seu caso na Operação Apocalipse , que resultou em sua prisão e dos colegas  Marcelo Reis (PSD) e Edwilson Negreiros (PSB). Indignado com a atitude de  Confúcio Moura, Montes ressaltou que o “governador só tem a cara de bom velhinho, mas quem o conhece sabe da capetice que é capaz”.