Prefeito é vaiado durante abertura dos trabalhos da Câmara

Valdemir Caldas

A Câmara Municipal de Porto Velho realizou Sessão Solene de abertura do Primeiro Período Legislativo de 2018, segunda-feira (5), com as presenças de dezenove dos vinte e um vereadores, do prefeito Hildon Chaves, secretários municipais, autoridades do Poder Judiciário, Assembleia Legislativa de Rondônia, e da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional de Rondônia.

O discurso do doutor Hildon era o mais aguardado, mas, quem acabou mesmo roubando a cena foi o presidente da Casa, Maurício Carvalho, aplaudido, seguidas vezes, durante sua fala, enquanto o prefeito foi interrompido três vezes pelas vaias que ecoavam da galeria, provavelmente, de servidores da Secretaria Municipal de Saúde, revoltados com a situação de abandono por que passa o setor, e vigilantes de uma empresa que presta serviços ao município, ameaçados de perderem o emprego com a possível instalação de câmeras de vídeos nas escolas municipais. O presidente interveio, pedindo aos manifestantes que garantissem a palavra ao prefeito. Caso contrário, seria obrigado a suspender a Sessão.

Pela enésima vez, o prefeito disse que o problema da saúde é a falta de atendimento na atenção básica, “o que causa grande fluxo nas unidades de urgência e emergência”, porém não esclareceu o que pretende fazer para evitar que o paciente a cabe na UTI. Irritado com as vaias, o prefeito ameaçou instalar relógio de ponto em todas as unidades de saúde.

Quando o vereador Jair Montes pediu ao prefeito que falasse sobre o pagamento de precatórios, até para dirimir eventuais dúvidas da população, uma vez que o plenário deverá reapreciar, nos próximos dias, um projeto de lei, de autoria do poder executivo, com o qual pede autorização à Câmara Municipal para contratar empréstimo junto à instituição financeira para essa finalidade, doutor Hildon parece que se sentiu incomodado. Mesmo assim, respondeu em linguagem técnica, só compreensível, segundo ele, aos experimentados no assunto. Jair pode até ter sido convencido pelo prefeito, o mesmo não posso dizer de algumas pessoas com as quais convencei depois que acabou a sessão.